Conservação ambiental: a luta por justiça socioambiental dos povos indígenas

Share this

A conservação ambiental consiste na adoção de práticas que mantenham a qualidade e a integridade da natureza. Qualquer pessoa e comunidade pode — e deve — adotar essa postura. Mas quem realmente desempenha um papel crucial nesse sentido são os indígenas.

Fazendo parte dos povos e comunidades tradicionais, e sendo originários do Brasil, os indígenas promovem a justiça ambiental em todo o mundo. Isso porque suas culturas e modos de vida continuam totalmente relacionados à preservação da biodiversidade.

Os habitantes dessas comunidades compreendem os ecossistemas e têm uma relação complexa com a natureza. Por isso, eles também são chamados de “guardiões da floresta”. Para entender melhor esse contexto, vamos explicar a luta pela justiça dos povos indígenas no que se refere à conservação ambiental. Continue lendo!

O que é a conservação ambiental?

A conservação ambiental é o consumo sustentável dos recursos naturais para causar poucos impactos à natureza e aos seus ecossistemas. Portanto, esse conceito também tem relação com o desenvolvimento sustentável, gerando mais qualidade de vida aos seres humanos.

Se formos ampliar essa ideia, podemos dizer que ela poderia reduzir a desigualdade social. Afinal, com o uso sustentável dos recursos, todos poderiam aproveitar igualmente deles, sem privilégios. É, basicamente, o que ocorre nas comunidades indígenas.

Portanto, eles são um exemplo de luta pela floresta e pela natureza, além de também implementarem um sistema mais justo. Esses são alguns fatores que fizeram 9 de agosto ser o Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Qual a diferença entre conservação ambiental e preservação ambiental?

A conservação ambiental busca usar os recursos naturais de forma sustentável, já a preservação mantém a natureza intocada. Assim, a diferença entre esses termos é a finalidade, já que o segundo implica não utilizar os elementos da natureza, mesmo de forma racional.

Na prática, um ambiente é preservado quando ninguém mexe nele. É um local sem interferência dos seres humanos, como costuma ocorrer em Áreas de Preservação Permanente (APPs).

Por sua vez, o conservado é aquele em que a comunidade utiliza seus recursos de forma consciente. Isso significa que as gerações futuras poderão usufruir deles, pois existe uma relação equilibrada e harmoniosa.

Como os povos indígenas ajudam na preservação e conservação ambiental?

Os povos indígenas ajudam na preservação e conservação ambiental por protegerem e estimularem a formação da biodiversidade. Além disso, essas comunidades resistem e lutam contra o uso desenfreado dos recursos, evitando atividades de extração de madeira, mineração, pecuária, monocultura, etc.

Dados da ONU confirmam que das florestas globais ainda intactas, 45% localizam-se em áreas indígenas, onde o desmatamento reduziu-se em 66%. Os territórios desses povos representam 28% do território mundial e são zonas onde 80% da biodiversidade é preservada. Em particular, a Amazônia sofreu uma devastação de 20% em quatro décadas, contrastando com somente 2% de perda nas florestas situadas em terras indígenas.

Além disso, 40,5% das áreas florestais estão sob proteção em territórios indígenas e quilombolas, assim como em unidades de conservação. Entre 1985 e 2020, os povos indígenas foram responsáveis pela preservação de 20,3% da vegetação nativa

Tudo isso deixa claro que os povos indígenas têm uma forte relação com o meio ambiente. A natureza é encarada como um ser vivo por essa comunidade, sendo que se entende que ela deve ser protegida.

Por isso, os indígenas utilizam formas de manejo corretas dos recursos naturais para preservar a biodiversidade. Essa atitude vem sendo adotada mesmo diante da tentativa de desmatamento por parte de garimpeiros, extrativistas, pecuaristas, etc.

Portanto, é uma luta constante e uma postura de resistência. Esse movimento precisa ser mantido e fortalecido, a fim de que todos possamos desfrutar de seus benefícios. Isso ajuda na promoção do direito à água potável, na diminuição dos impactos da crise climática e em outros aspectos fundamentais para a sobrevivência e dignidade humana.

Ou seja, tão importante quanto o consumo consciente de água e de outros recursos naturais é a conservação ambiental. Nesse sentido, nenhuma comunidade tem um impacto tão significativo quanto os povos indígenas.

Qual a importância da demarcação das terras indígenas?

A importância da demarcação das terras indígenas é garantir o direito constitucional dos povos originários à terra. Além disso, é uma forma de assegurar a autonomia e a autodeterminação dessa comunidade. Dessa maneira, também é possível proteger a natureza e o planeta.

Afinal, as áreas indígenas sofrem impactos menores da exploração do solo, do garimpo e do agronegócio — mesmo diante de ataques intensos. Apesar disso, o 19° Acampamento Terra Livre (ATL) decretou emergência climática, indicando que a demarcação das terras é essencial para diminuir os efeitos do aquecimento global.

Nesse contexto, é indispensável falar do marco temporal. A Lei 14.701/2023 define que a demarcação só pode ser feita em terras já ocupadas ou disputadas até 5 de outubro de 1988. Essa é a data da promulgação da Constituição Federal.

Apesar disso, ainda há questionamentos, já que os povos originários tiveram — e ainda têm — seus territórios usurpados. Por isso, essa lei pode prejudicar a conservação ambiental, já que o total de terras indígenas pode diminuir com o tempo.

Todo esse cenário deixa claro que a luta dos indígenas é digna e visa à conservação ambiental. Assim, é importante ser favorável a esse movimento e auxiliar as causas sociais que contribuem para ter mais justiça.

E você, quer conhecer mais formas de auxiliar pessoas e comunidades vulnerabilizadas? Siga os perfis da Habitat nas redes sociais: Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube.

Apoie a Habitat Brasil e contribua para manter nossos projetos em andamento, que visam transformar vidas por meio da moradia digna, saneamento básico e água potável para todos. Sua doação é essencial para garantir direitos fundamentais e proporcionar uma vida saudável e digna para milhares de pessoas. Juntos, podemos fazer a diferença, faça uma doação hoje!

Resumindo

O que é a conservação do meio ambiente?

A conservação do meio ambiente é o ato de usar os recursos naturais de forma sustentável, protegendo a natureza contra possíveis danos. Assim, consegue-se garantir boas condições a espécies, comunidades e ecossistemas.

Qual o objetivo da conservação ambiental?

O objetivo da conservação ambiental é fazer um consumo consciente dos recursos naturais para evitar impactos negativos ao meio ambiente. Isso permite que eles sejam mantidos por mais tempo e não se esgotem, podendo ser usados por outras gerações.

O que é preservação e conservação?

Preservação é manter uma área da natureza intocada, enquanto conservação é usar os recursos naturais de forma sustentável. Ou seja, no primeiro caso, não há interferência humana.