Acesso à água potável: a realidade de um direito desigual

Share this

Talvez você não perceba esse problema no seu dia a dia, mas milhões de pessoas sofrem com a falta de acesso à água potável no mundo. Enquanto a água chega por meio de encanamento na sua casa e pode ser usada em todos os cômodos com facilidade, outras pessoas precisam ir ao rio encher os baldes e ter o que beber e com o que limpar a casa.

Essa realidade está presente no Brasil e em vários outros países do mundo. Ainda há muitos casos de escassez de água, especialmente aqueles agravados pelas mudanças climáticas. Por isso, é fundamental discutir estratégias para garantir esse direito.

Neste post, vamos explicar melhor como funciona o acesso à água potável no Brasil, o que isso significa, qual a importância e sua relação com o saneamento básico. Continue lendo e entenda!

O que é acesso à água potável?

Acesso à água potável é ter disponibilidade de água em condições passíveis de consumo humano. Isso significa não haver riscos à saúde para qualquer pessoa que ingira o líquido.  Por sua vez, esse direito fundamental nem sempre é assegurado, especialmente para populações em condições vulneráveis, como aquelas em regiões de crise humanitária.

Quais são as fontes de água potável?

As fontes de água potável são os reservatórios subterrâneos (especialmente, os aquíferos) ou superficiais (rios e lagos). No entanto, para o líquido poder ser ingerido, é necessário passar por um processo de purificação. Caso contrário, o consumo nem sempre é seguro, porque podem existir agentes poluidores.

Qual a importância da água potável e sua democratização?

A importância da água potável e sua democratização é garantir o acesso a um direito fundamental. Portanto, isso tem relação direta com a desigualdade social, sendo que a população mais carente está mais vulnerável e suscetível a doenças devido aos agentes poluidores.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), metade da população não tem acesso à água potável no dia a dia. No Brasil, aproximadamente 17% da população não tem esse direito. Isso representa 30 milhões de habitantes, sendo que, do total, 14% são crianças e adolescentes.

As regiões que mais sofrem são o Nordeste e o Norte. No primeiro caso, 30% da população é afetada. No segundo, mais de 50% das casas não estão conectadas ao sistema de abastecimento.

Vale lembrar que a falta de acesso à água potável impacta mais as populações em situação de vulnerabilidade social. A Unicef ainda destaca que 1,2 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável e 1,8 bilhão não têm saneamento básico adequado.

Qual a relação entre o acesso à água potável e a falta de saneamento básico?

A relação entre o acesso à água potável e a falta de saneamento básico é que o recurso hídrico normalmente precisa passar por processos de limpeza e purificação. Somente dessa forma é possível ingeri-lo sem riscos à saúde. Ou seja, ainda que ele esteja disponível na natureza, tende a apresentar agentes de contaminação, que impactam a saúde.

Por isso, os conceitos são diferentes, mas há uma relação de interdependência. Nesse sentido, a importância do saneamento básico é muito evidente. Quando é ausente, faz com que a água esteja contaminada e cause doenças nos seres humanos. Isso demonstra a necessidade do acesso à rede de esgoto, a fim de garantir a preservação do recurso hídrico.

Quais problemas a falta de água potável pode trazer?

Os problemas que a falta de água potável pode trazer são doenças e enchentes, principalmente. Entre as enfermidades, as principais são malária, esquistossomose, hepatite e cólera, que causam sintomas como diarreia, enjoos, dores abdominais e cansaço. 

Para ter uma ideia, investimentos mais sólidos para mudar essa situação poderiam salvar cerca de 1,5 milhão de pessoas, segundo dados da OMS. Isso porque várias doenças deixariam de aparecer, sendo a diarréia a principal. Ela causou mais de 1 milhão de mortes em 2019, ano do estudo publicado em 2023.

Saiba como a Habitat Brasil ajuda no acesso à água potável no país

A Habitat ajuda no acesso à água potável no Brasil por ter projetos voltados para esse direito fundamental. Desde 2007, várias cisternas são construídas para a captação e armazenamento da água da chuva para auxiliar o Agreste e o Sertão de Pernambuco. No total, mais de 720 já foram construídas.

Além disso, mais de 470 pias comunitárias foram instaladas. Sem contar que também foram feitas reformas emergenciais em casas durante o período da pandemia de COVID-19. Assim, mais de 400 obras de acesso a saneamento básico e água potável foram realizadas, beneficiando mais de 2 mil pessoas.

Tudo isso auxilia no acesso à água potável para as populações em situações de vulnerabilidade social. E você também pode fazer parte desse movimento, contribuindo para que milhões de pessoas tenham uma vida mais digna.

Então, que tal ajudar a realizar esses projetos? Faça a sua doação para a Habitat Brasil e contribua para uma sociedade mais justa.

 Resumindo

O que é acesso à água potável?

Acesso à água potável é ter o recurso hídrico em condições de ser ingerido sem riscos à saúde. Apesar de ser um direito fundamental, milhões de pessoas não têm esse benefício, especialmente as populações em situação de vulnerabilidade social.

Por que as pessoas não têm acesso à água potável?

As pessoas não têm acesso à água potável por desigualdade social e falta de saneamento básico. O uso sustentável e consciente do recurso hídrico é outro problema.