Habitat Brasil lança ação para apoiar 1.200 pessoas, vítimas das chuvas na Bahia e Minas Gerais

Share this

A iniciativa tem como objetivo realizar intervensões de recuperação em moradias de famílias de baixa renda. Mais de 100 mil pessoas se encontram em situação precária de moradia na região

O sul da Bahia e  341 municípios de Minas Gerais estão passando por uma situação de emergência por conta das fortes chuvas que ocorreram nessas regiões. Em dezembro de 2021, a Bahia foi o lugar que mais choveu no mundo. Em Minas Gerais, desabamentos, deslizamentos e inundações são registrados em pontos críticos de diversas cidades.

Para apoiar famílias vítimas das chuvas intensas, a Habitat Brasil está em campanha para conseguir recursos para apoiar a reconstrução dessas regiões. As inundações deixaram mais de 815 mil pessoas desabrigadas e mais de 100 mil pessoas se encontram em situação precária de moradia.

Com o projeto, que tem meta de arrecadação inicial de R$ 4 milhões, a Habitat Brasil vai contemplar famílias que recebem até dois salários mínimos nas áreas afetadas. As 450 intervenções serão feitas de acordo com a necessidade de cada moradia, podendo incluir estrutura em risco; instalações elétricas e /ou hidráulicas comprometidas; reconstrução de muros e outras partes da casa. 

“Está claro que as mudanças climáticas têm causado catástrofes maiores e cada vez mais frequentes. As populações que vivem em condições mais vulneráveis de moradia são as que mais sofrem. No caso recente das inundações na Bahia, é isso que estamos presenciando mais uma vez. Depois dos atendimentos emergenciais e da limpeza e remoção dos escombros é hora de pensar em reconstruir as moradias. Restarão uma infinidade de moradias com necessidades de reparos e melhorias para que famílias possam ter novamente uma casa digna e adequada. É aqui que Habitat Brasil e sua rede de parceiros podem ajudar mais, de maneira mais efetiva e permanente”

Mário Vieira, diretor executivo da Habitat Brasil.

Um artigo da fundação FioCruz ressalta que pessoas que residem em moradias precárias sofrem uma ação desproporcional nos eventos extremos tais como inundações, tornados, furacões e outros. Segundo a conclusão, os desastres ambientais têm alto percentual de responsabilidade pelo déficit habitacional no Brasil. Em outro estudo, realizado pela empresa de investimento e gestão TCP Partners, o déficit habitacional deve ter atingido a marca de 6.102 milhões de moradias em 2021.