Cerca de 35 milhões de pessoas vivem sem água potável no Brasil

Share this

Estudo do Instituto Trata Brasil aponta que quase 35 milhões de pessoas não tem acesso à água potável no Brasil. Além disso, cerca de 100 milhões não possuem coleta de esgoto, resultando em doenças que podem levar até à morte. O levantamento tem como objetivo mostrar quais desafios o Brasil ainda precisa confrontar para cumprir compromissos. Esses compromissos fazem parte de uma agenda nacional e internacional em relação à coleta, água tratada e tratamento de esgoto.

Desigualdade

Entre os 20 piores municípios, há predominância de cidades das regiões Norte, Nordeste e do estado do Rio de Janeiro. Já os 3 piores municípios do ranking são, em ordem, Macapá (AP), Porto Velho (RO) e Santarém (PA). Essas cidades são destaques negativos no acesso à água potável, sendo Porto Velho o município de poucos habitantes e apenas 32,87% têm acesso ao serviço.

Doenças

Na mesma data em que o estudo foi lançado, em março de 2022, o senador Paulo Paim (RS-PT) destacou em uma sessão no Senado que problemas de saúde, como a doença de Chagas, podem ser evitados com um aumento da cobertura e qualidade do serviço de saneamento básico. O senador ainda citou dados do IBGE que apontam que a falta de saneamento afeta 11 mil pessoas por ano no Brasil, principalmente idosos com 60 anos ou mais.

Como mudar a realidade de milhões de pessoas?

No Brasil, a dificuldade de acesso à água potável e saneamento para populações em situação de vulnerabilidade afeta a saúde e o desenvolvimento de milhões de pessoas há muitos anos. Mas ainda que seja uma realidade difícil, sabemos que é possível mudá-la. Só que para isso precisamos de ajuda. Com a sua doação podemos ampliar o acesso a água e saneamento básico e assim evitar a propagação de doenças que podem levar à morte devido à contaminação.

Então, se você quiser nos ajudar a combater as desigualdades e proporcionar melhores condições de vida e dignidade às pessoas, junte-se a nós. Faça a sua doação hoje mesmo!