Habitat Brasil é premiada na 4º edição do Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade

Share this

Projeto de reformas de moradias precárias chefiadas por mulheres com foco na prevenção à pandemia de COVID-19 da Habitat Brasil foi uma das iniciativas reconhecidas nesta edição

Em sua quarta edição, o Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade, concedido pela Secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidania de São Paulo, reconhece iniciativas e ações que promovem a inclusão com impacto social nas seguintes categorias: igualdade racial, LGBTQIA+, pessoas idosas, mulheres, pessoas em situação de rua, pessoas imigrantes, pessoas com deficiência, juventude, infância e adolescência, pessoas privadas de liberdade e transversalidade.

O projeto de reformas de moradias precárias de famílias chefiadas por mulheres com foco na prevenção à pandemia de COVID-19 da Habitat Brasil foi uma das iniciativas reconhecidas na edição deste ano. Desde o inicio da crise sanitária, realizamos reformas emergenciais com objetivo de beneficiar famílias de comunidades e periferias com melhorias em suas casas a fim de eliminar precariedades que podem agravar a transmissão da COVID-19. O público-meta prioritário para atendimento são mulheres chefes de família.

As obras vão desde a instalação de caixas d´água, até reformas de banheiros e readequação de espaços para melhorar a circulação de ar dentro das casas.

Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade

O selo de Direitos Humanos e Diversidade deve ser renovado anualmente por meio da comprovação de avanços e melhoria contínua nas práticas de cada instituição reconhecida. O objetivo é inspirar as organizações a aprofundarem suas iniciativas e expandi-las para outras dimensões e categorias.

“O Selo de Direitos Humanos e Diversidade foi criado para incentivar empresas, entidades da sociedade civil e órgãos do poder público a pensar e praticar a inclusão dentro de suas estruturas organizacionais. Promover uma sociedade mais justa, democrática e que respeite todas as pessoas em especial as mais vulneráveis é um ato diário de respeito ao próximo. A cidade de São Paulo referenda as boas práticas humanitárias e que têm replicabilidade no município. A agenda social é nossa prioridade”, afirma a secretária Ana Claudia Carletto.