3 livros infantins para incentivar uma educação antirracista

Share this

O racismo é um problema que deve ser encarado por toda a sociedade. Por isso, é fundamental estudar sobre raça, colorismo, branquitude e diferentes tipos de racismo. Vamos incentivar uma educação antirracista através de livros infantis?

O contexto nacional vem sendo caracterizado pelo crescimento da força política de grupos ultraconservadores que atacam a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em grande parte, referenciados em uma noção de branquitude acrítica – justificando as hierarquias raciais, defendendo a supremacia branca e propagando ódio contra os mais pobres e os considerados “diferentes”.

Diante deste cenário, é urgente apostar em uma educação que possibilite desestabilizar e reinventar perspectivas, promover aprendizagens e reeducar relações raciais. 

Para incentivar uma educação antirracista, hoje a Habitat Brasil indica três livros infantis que discutem a temática de forma lúdica e didática.

Não deixe de conferir:

Bucala: a pequena princesa do Quilombo do Cabula – Davi Nunes

A pequena princesa do Quilombo do Cabula conta a história de uma linda princesa quilombola que tem o cabelo crespo em formato de coroa de rainha. Ela possui poderes que protegem o quilombo. Bucala voa no pássaro-preto, cavalga na onça suçuarana, mergulha no reino da rainha das águas doces e aprende toda a sabedoria dos reinos africanos com o sábio ancião Bem-preto-de-barbicha-bem-branca.

Mandela: o africano de todas as cores – Alain Serres / Zau

Nelson Mandela liderou a resistência contra décadas de apartheid na África do Sul e é amado e admirado no mundo inteiro. Depois de 27 anos na prisão, reconquistou enfim a liberdade e, em 1994, foi eleito o primeiro presidente negro de seu país. Com um texto emocionante de Alain Serres e belas ilustrações de Zaü, o livro apresenta a história desse grande homem, cuja luta a favor da união dos povos de todas as cores é fonte permanente de inspiração. A obra, que integra o catálogo da Pequena Zahar, conta ainda com a seção “Para compreender melhor”, em que o leitor encontrará material de pesquisa que inclui: palavras-chave, fotos, um mapa e uma cronologia da vida de Mandela.

Amoras – Emicida

A música “Amoras”, Emicida canta: “Que a doçura das frutinhas sabor acalanto/ Fez a criança sozinha alcançar a conclusão/ Papai que bom, porque eu sou pretinha também”. E é a partir desse rap que um dos artistas brasileiros mais influentes da atualidade cria seu primeiro livro infantil e mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulhamos de quem somos — desde criança e para sempre.