Daqui não saio, daqui ninguém me tira

Share this

Especial Dia Internacional da Luta das Mulheres

Vânia é moradora de Passarinho há 22 anos e é uma das várias mulheres negras que estão na luta pela moradia nessa comunidade da Zona Norte da cidade de Recife, Pernambuco. “Eu morava numa barreira, em Córrego José Barros, perto do Morro da Conceição, com meus quatro filhos e meu marido. Pagava aluguel semanal e era muito perigoso. Minha filha uma vez caiu da barreira”, conta Vânia, explicando seu desejo de buscar uma nova casa.

Com 28 anos, Vânia foi em busca de uma oportunidade melhor em Passarinho, ergueu sua casa inicialmente com materiais inadequados aos meses de chuva recifense – metade da casa era coberta com sacos plásticos.

“Eu e meu marido passamos oito meses segurando o plástico do teto com um pau pra não alagar a casa, toda vez que chovia”, conta Vânia.

Apenas em 2015, Vânia conseguiu o título de posse da sua casa através de um processo judicial, mas ainda há um grande número de moradores com a situação de moradia incerta. Surgida na década de 1980, Passarinho abriga cerca de 25.000 famílias que, desde 2007, vivem com a ameaça de uma reintegração de posse do terreno. A comunidade começou com uma ação do governo que distribuiu lotes de terra para cerca de 500 famílias. Mas, diferente de Vânia, ainda há pessoas em Passarinho sem o título de posse da sua terra. Eles seguem lutando por moradia.

Fundadora do Espaço Mulher Passarinho, Vânia, junto com outras integrantes do grupo, fortalecem as mulheres negras da comunidade através de diversas atividades empoderadoras, tais como o Dia da Beleza da Mulher Negra, que acontece em novembro. Surgido de um grupo de amigas, o Espaço Mulher busca empoderar as mulheres da comunidade a partir de uma perspectiva antirracista e feminista, através do afeto e do reconhecimento enquanto mulheres negras que lutam pelo direito à terra e à moradia.