Alunos da Escola Pan Americana da Bahia transformam a vida de 3 famílias em Candeias (BA)

12 estudantes se voluntariaram e aceitaram o desafio de mudar a realidade da Ruth, Dona Silvia e Miralva

75 milhões de brasileiros vivem em moradias inadequadas. A região nordeste tem o pior índice: são mais de 3 milhões de moradias com carência de pelo menos um tipo de serviço de infraestrutura. Ou seja, as casas não contam com energia elétrica ou abastecimento de água ou saneamento básico ou coleta de lixo.

A moradia digna é um fator fundamental para a saúde, assim como para o desenvolvimento das famílias e das comunidades. Especialmente, para meninas e meninos em condição de pobreza, melhorar a sua moradia pode diferenciá-los entre viverem saudáveis ou doentes. Entre ter sucesso na escola ou ter atraso educativo. Entre aproveitar oportunidades ou ficar preso no círculo da pobreza.

Por isso nós construímos e reformamos moradias em comunidades e favelas. Porque acreditamos que um lar mais digno é capaz de construir um futuro com mais oportunidades para essas famílias. Neste mês, 12 alunos da Escola Pan Americana da Bahia se juntaram a 3 famílias que vivem na Vila Esperança, em Candeias (BA). Eles passaram 5 dias reformando a casa desses moradores e transformando as suas vidas.

A Força do Voluntariado

Depois de meses arrecadando os recursos necessários para financiar a ação, os alunos se juntaram aos moradores e moradoras da cidade de Candeias (BA) para a construção e reforma de 3 novos lares. Os voluntários passaram 5 dias ao lado dessas famílias, conhecendo as suas histórias e levando um pouco de esperança para essas famílias.  

QUER PARTICIPAR DE UMA AÇÃO COMO ESSA?
INSCREVA-SE E AGUARDE NOVIDADES!

Quero ser voluntário!

AS FAMÍLIAS

Junio e Ruth moram em Vila Esperança com os filhos Thallys (4 anos) e Murilo (9 meses). A única renda da família vem do trabalho de pedreiro de Junio. O casal gosta muito da comunidade em que vivem e, para eles, a casa representa segurança e o futuro dos filhos. Eles acreditam que é muito importante ter um lar melhor para que seus filhos possam ter um bom local para estudar e, futuramente, fazer faculdade. 

Miralva tem 56 anos e mora em Vila Esperança há 26. Ela sempre batalhou muito na vida, começou a trabalhar aos 9 anos de idade e com muito esforço criou seus 4 filhos. Hoje, ela mora com seu marido e sua neta de 5 anos, em uma casa muito precária. A renda média da família é de R$300,00 mensais, o que não é suficiente para quase nada, muito menos para reformar a sua moradia.

Dona Silvia tem 72 anos, é aposentada e vive sozinha em sua casa em Vila Esperança. Sua casa é muito precária! Tem diversas infiltrações, quando chove entra muita água. Os cômodos são muito escuros e sem ventilação. E o banheiro estava em péssimas condições.

Vila Esperança

Vila Esperança é uma pequena comunidade do município de Candeias (Bahia) que sofre com diversas necessidades que não são atendidas pelo poder público. Ali moram apenas cerca de 200 famílias. A maioria delas vive com renda mensal familiar de um salário mínimo, complementada pelo bolsa-família. As casas da comunidade foram construídas pelas próprias famílias e em geral são precárias, com pouca iluminação e ventilação natural, fiação elétrica inadequada e sem banheiros.

Você também pode gostar
Habitat mobiliza voluntários para intervenção urbana em Caranguejo Tabaiares (Recife/PE)
Voluntários constroem cisternas para 12 famílias no sertão pernambucano
Colaboradores do Instituto GM transformam a casa e a vida de famílias em Heliópolis/SP
Um quarto para Helen