Os comentários são Desativado

Voluntários americanos constroem 6 cisternas com a Habitat Brasil em Riacho das Almas

Fazer o bem para quem mais precisa. Foi com esta missão que 13 voluntários dos Estados Unidos estiveram em Riacho das Almas/PE entre os dias 06 e 10 de março . O grupo chegou à comunidade rural de Sítio Xambá para passar uma semana construindo cisternas para famílias que sofrem com a seca na região. O grupo veio pelo programa Global Village da Habitat for Humanity, para apoiar o projeto Água para Vidas, programa de acesso à água na região do semiárido desenvolvido pela Habitat Brasil desde 2013.

Os voluntários passaram 9 meses arrecadando recursos para viabilizar a viagem e a construção de 06 cisternas para famílias na região. Para a líder do grupo, Shelley Ulmer, a oportunidade é transformadora não apenas para as famílias, mas principalmente para os voluntários.

“Esta é minha 19ª viagem para participar de um projeto com a Habitat para a Humanidade e posso dizer com toda a certeza que a missão de servir a famílias em situação de pobreza nos rende lições que levamos para o resto da vida”, afirma a líder.

Uma das pessoas beneficiadas pelo projeto é Inácia da Silva, a dona Nina. Mãe solteira e chefe de família, dona Nina precisava andar cerca de 2km todos os dias para buscar água em baldes. Com renda mensal de apenas R$400, o sonho de construir uma cisterna parecia uma realidade distante que nunca caberia em seu orçamento. Através do projeto, dona Nina teve sua cisterna construída e poderá começar a armazenar água potável em casa. E quando finalmente começar a chover, terá a sorte de poder captar água da chuva de forma segura e sustentável.

“Para nós é uma benção muito grande. Eu achei que nunca ia conseguir minha cisterna e aí recebi a notícia de que a Habitat estava cadastrando pro projeto. A gente ainda recebeu a ajuda desse pessoal, é uma felicidade para mim tê-los aqui”, conta a agricultora, que também se voluntariou para cozinhar os almoços para o grupo nesta semana.

“Nós priorizamos o atendimento a famílias lideradas por mulheres, e com crianças, idosos e/ou pessoas com problemas de saúde e deficiências morando na casa. Mas o principal critério é que sejam famílias em área rural, sem acesso a água, que recebam até 2 salários mínimos de renda familiar mensal”, explica Mohema Rolim, Gerente de Programas do Escritório Nacional da Habitat para a Humanidade Brasil e responsável técnica pelo projeto. “A mudança na qualidade de vida para as famílias é imediata. Não podemos conceber que milhares de famílias ainda carecem de acesso a este direito humano mais básico”.

A Habitat para a Humanidade Brasil está sempre aberta a receber voluntários nacionais e internacionais. Para mais informações sobre voluntariado, clique aqui!
Você também pode gostar
Ciclo de Diálogos: 25 anos Habitat Brasil
Habitat para a Humanidade e Bloomberg apoiarão 30 reformas no Brasil
Oficina de conflitos fundiários urbanos acontece em Recife
voluntaria-habitat
Voluntariado como propósito de vida: conheça a história da Gil