Melhoria sustentável para uma mãe chefe de família

Assim como muitas mulheres brasileiras e latino-americanas, Maria Lúcia carrega sozinha a responsabilidade de trabalhar para manter sua casa, cuidar dos afazeres domésticos e criar a sua filha Bia, que tem 7 anos.

A rotina dessa mãe não é nada fácil: durante o dia, ela cuida da casa, da filha e dos pais, que são idosos e dependem, atualmente, dela para a maioria das atividades. À noite, Maria leva Bia para a casa de uma tia para poder ir trabalhar, pois trabalha na equipe de zeladoria de um hospital da cidade. Ainda com todo o esforço e a dedicação de Maria Lúcia, seu salário não era suficiente para gastar com reformas necessárias em sua casa.

Essa mãe e chefe de família vive na comunidade da Bomba do Hemetério, em Recife, Pernambuco. Localizada no coração da cidade, essa região foi ocupada por famílias pobres há 60 anos, muito antes do boom da construção que Recife tem vivido nos últimos 15 anos. Estas famílias foram para a Bomba porque não tinham outro lugar para viver e, lentamente, começaram a construir suas casas e garantir um lugar para suas famílias viverem. Os pais de Maria Lúcia estão entre essas famílias e ela mesma se lembra dos esforços deles para construir sua casa própria. Primeiro, eles fizeram apenas um quarto. Ao longo dos anos, foram construindo aos poucos: uma sala de estar, uma cozinha e um banheiro. Quando Maria Lúcia cresceu, como é comum em comunidades, ela construiu sua casa ao lado dos pais e, hoje em dia, eles são vizinhos.

A pequena Bia agora tem um cantinho saudável e adequado para estudar.

A pequena Bia agora tem um cantinho saudável e adequado para estudar.

Como havia pouco espaço para construir, a casa de Maria Lúcia é composta por uma pequena sala de estar/cozinha, um quarto e um banheiro. A casa era muito pequena e escura, com pouca ventilação e iluminação natural. O telhado estava muito danificado e os cômodos, extremamente quentes e mofados. Consequentemente, as luzes e ventiladores tinham que estar sempre ligados durante todo o dia e noite. Além disso, sua filha Bia, por muitas vezes teve que faltar à escola devido a problemas respiratórios, que são causados pelo mofo e pela umidade excessiva da moradia – fato bastante comum para crianças que crescem em casas como a dela.

Através do apoio da Habitat Brasil, Maria Lúcia conseguiu reformar sua casa, a partir do acesso ao microcrédito para reformas, e também implementou soluções sustentáveis para economizar água e luz. Sua casa foi reformada e essa mãe agora pode permanecer muito mais tranquila sabendo que sua família está vivendo em um lugar seguro e saudável. Com as mudanças sustentáveis, ela e sua família hoje podem economizar com as contas também.

A reforma da casa incluiu a construção de um telhado totalmente novo, novas janelas, pintura e instalação de mecanismos para economizar água e eletricidade.

“Para mim é um alívio. Busquei por todas partes e não sabia como iria fazer para resolver essa situação. Eu me preocupada todos os dias, com a segurança e saúde da minha filha. Agora, além de tudo, as contas de água e luz reduziram pela metade! Minha vida melhorou demais.”, comemora Maria Lúcia.

Deixe uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.