Joselandia: uma mãe que transformou a luta em alegria

Gratidão – este é um sentimento, mas poderia ser o codinome de Joselandia Quirino. Aos 41 anos, nordestina, de riso fácil, Jose, como é conhecida, contagia todos que estão ao redor com a sua alegria. Hoje, quem chega ao lar da família dela, escuta já do portão a euforia que emana da casa, localizada em Heliópolis, uma das maiores comunidade do Brasil, na cidade de São Paulo. Na pequena sala, que acomoda também a cozinha, entre gargalhadas e cortesias, a auxiliar de limpeza não se cansa de agradecer pela transformação que foi realizada em seu lar. “Era meu sonho mesmo ver a minha casa assim! O trabalho está lindo, perfeito! Tem hora que eu até beijo a minha parede!”, revela Jose, com muito bom humor.

A mãe chefe de família conhece desde cedo a realidade de quem tem que batalhar muito para conseguir o mínimo para sobreviver. Ela não pôde terminar os estudos, mas fez de tudo para que as filhas tivessem um futuro diferente. “Eu sou da Paraíba. Vim para cá com 10 anos com os meus pais. Eu criei sozinha as minhas filhas, com a ajuda de Deus. Eu tenho quatro meninas e seis netos. São poucos que enxergam o que a gente é hoje em dia, mas eu me sinto uma mulher guerreira. Eu vejo a dificuldade de se criar um filho, imagine eu que criei quatro sozinha e nunca pedi um pão para ninguém. Não que eu não precise, mas eu sempre fui à luta, sempre fui mulher de trabalhar. Eu prefiro ir buscar do que te pedir alguma coisa, eu prefiro te dar. Eu sempre trabalhei em casa de família. Sempre comi o pão que o diabo amassou. Eu chorava para não deixar faltar nada para as minhas filhas”.

A transformação da casa, através da reforma realizada pela Habitat, era a ajuda que faltava para que Jose e a filha Patrícia renovassem as forças para enfrentar as lutas diárias. Aquelas paredes com infiltrações e mofo na sala/cozinha, sem iluminação e ventilação suficientes, não combinavam com a alegria da família. As dores de cabeça por causa dos vazamentos no banheiro e do mofo no quarto já são preocupações do passado.

A moradora conta: “Eu sempre mexia um pouquinho, mas nunca consegui fazer tudo de uma vez. Porque a gente sozinha, as coisas difíceis e eu sempre tive a ajuda de Deus. Eu fiz sozinha essa casa, sem a ajuda de ninguém. Ninguém nunca me deu uma areia. Mas é como diz a história: ela lutou, ela não desistiu, e Deus disse assim: ela merece tudo de uma vez, ela não vai mais sofrer, não vai mais se cansar. Deus é maravilhoso, Ele chega na hora certa. No momento que eu estava mais aflita…”.

Agora, com mais saúde, conforto, praticidade e segurança, Jose tem um espaço ainda mais aconchegante para fazer as atividades do dia a dia como cozinhar, tomar banho e dormir, além de receber os familiares e as visitas com mais orgulho da própria casa. “Na hora que eu entro aqui, eu falo: será que eu estou na minha casa mesmo, gente? Será que é aqui mesmo que eu moro?”, revela Jose, que agora tem janelas e portas novas que dão mais claridade e ventilação para a casa, azulejos na cozinha e no banheiro e paredes pintadas e clarinhas.

Na casa da chefe de família moram também a filha Patrícia, 21 anos, e o neto Miguel de 04 anos. “Melhorou muito para a saúde do Miguel, a gente sente um novo ar dentro de casa. Antes, tinha aquele cheiro de mofo, precisava de uma reforma. Hoje, a gente tem orgulho de trazer alguém para fazer uma visita aqui. O Miguel dorme tranquilo, está bem melhor, cem por cento! Eu estou muito feliz! Fora que fica lindo, outro ambiente! A gente se alegra! Não precisa nem a gente falar, as pessoas veem a mudança! As pessoas vêm aqui na porta e dizem: nossa, como a sua casa está bonita!”, enfatiza Patrícia.

Mãe e filha nunca tinham pegado num pincel e colocaram a mão na massa na obra da casa junto com os pedreiros e voluntários. Após a notícia de que o seu cadastro havia sido aprovado no projeto de melhorias habitacionais da Habitat, Jose conta que não dormiu mais de tanta ansiedade. Ela mesma foi escolher os materiais, acompanhou a transformação do seu lar de perto, e não imaginava que a mudança seria tão rápida: em uma semana tudo estava pronto – portas e janelas novas aumentaram a luminosidade e circulação de ar na sala/cozinha, azulejos e piso de cerâmica trouxeram praticidade, mais saúde e higiene à área de cozinhar e ao banheiro; os vazamentos, as infiltrações e o mofo ficaram no passado, agora, todos os cômodos da casa estão devidamente pintados e sem umidade.

“Eu tenho só que agradecer a Deus e a vocês por esse presente! Dá ânimo de comprar outras coisas novas, eu estou muito alegre. Eu sempre tive harmonia com a minha mãe, mas a agora a gente está tendo mais ainda. A gente tem um espaço bom para sentar e conversar em família. O Miguel está muito feliz, ele fala: meu quarto! Ele põe o desenho dele lá e deita lá. Eu só tenho que agradecer mesmo! Está sendo um presentão!”, agradece Patrícia, com muito entusiasmo.

Jose e Patrícia nunca tiveram nada fácil, tudo sempre foi conquistado com muito suor e perseverança. Elas confiaram e acreditaram que o sonho poderia se tornar realidade. E para Jose, esse é só o começo: “Meus planos são sempre os de melhorar. Se melhorou agora, que lá na frente seja bem melhor! Agora a gente pegou mais atitude, mais fé, mais coragem! Às vezes, a gente desanima, acha que não vai conseguir nada. Então, você não pode desistir dos seus sonhos, tem que lutar, que uma hora Deus vai mandar alguém para te ajudar. E foi isso que aconteceu!”.

Você também pode gostar
Benefit arrecada fundos para Habitat Brasil reformar casas de mulheres em Heliópolis
Hoje é dia de transformar: Habitat Brasil no programa Como Será? da Rede Globo
Habitat Brasil celebra a entrega de 30 casas em Candeias (BA)
Campanha da Habitat atinge meta de doações

Deixe uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.