Estudantes arrecadam recursos para construir cisternas com a Habitat Brasil no agreste

A pior seca dos últimos 100 anos. Esta é a realidade enfrentada por milhões de famílias na região do semiárido nordestino há mais de cinco anos. Vivendo em extrema pobreza e sem acesso a água potável de qualidade em casa, mulheres, crianças e idosos se veem obrigados a caminhar longas distâncias todos os dias, carregando baldes e cumbucas para abastecer suas casas. Apesar de investimentos sociais pelo poder público e por organizações sem fins lucrativos, o problema ainda está longe de ser resolvido. E é para aliviar o sofrimento vivido por estas famílias que um grupo de alunos da PUC-Rio resolveu se juntar à Habitat para a Humanidade Brasil para promover uma campanha de arrecadação de recursos, visando a construção de 04 cisternas de 16 mil litros para atender famílias da zona rural do município de Riacho das Almas, no semiárido pernambucano.

O grupo, composto por oito mulheres e dois homens, está dedicando o mês de março para captar doações, através de um financiamento coletivo online. Em abril, os alunos também passarão uma semana na comunidade construindo as cisternas que ajudaram a financiar.  Os voluntários contribuirão com o projeto Água para Vidas, uma iniciativa da ONG Habitat para a Humanidade Brasil, que apoia o acesso a água na região do semiárido desde 2012.

Esta é a segunda ação que a engenheira ambiental Raquel Flinker promove junto à Habitat. Em 2015, Raquel e seu companheiro Wyatt Wells passaram 05 semanas em Riacho das Almas construindo cisternas para 05 famílias. A experiência os motivou a engajar mais pessoas na iniciativa.

“A ideia de envolver alunos de engenharia ambiental na iniciativa surgiu da minha própria experiência no projeto.  Foi uma vivência única onde pude ver a realidade do Agreste e quebrar meus próprios estereótipos.  Pude colocar a mão na massa de verdade e profundamente ajudar famílias que têm acesso limitado a água de qualidade. Algum tempo depois dessa experiência, ficou claro pra mim que esse projeto poderia acrescentar na formação de engenheiros ambientais.  O Água para Vidas une conhecimento técnico, transformação social e sem a menor dúvida, crescimento pessoal”, explica Raquel.

A família de Baca e Fátima foi uma das beneficiadas pelo projeto e pelo serviço de voluntariado de Raquel e Samuel. Agricultores há mais de 30 anos, o casal se conheceu nas jornadas para captar água. Conhecem e entendem o sofrimento que a falta de água traz para as famílias na região e garantem que a experiência de receber o grupo de voluntários foi transformadora em diversos sentidos.

“A gente esperava há muito tempo pela cisterna, e a caminhada era de mais de 2km todo dia. A gente já conhecia a Habitat porque eles reformaram o telhado da casa pra esperar uma cisterna do governo. Depois eles vieram com a proposta de receber uma cisterna da Habitat com ajuda dos voluntários e eu fiquei com um pouco de receio, mas foi a melhor decisão que a gente já tomou! Mudou minha vida em todos os sentidos, eles são como filhos pra mim”, afirma Fátima ao falar sobre a semana em que Raquel e Samuel estiveram em sua casa construindo juntamente com a família uma cisterna de placas de 16 mil litros.

O projeto Água para Vidas já atendeu famílias vivendo em extrema pobreza nas zonas rurais, sem acesso a água, em cerca de 15 municípios do estado de Pernambuco. O projeto contempla a reforma/ampliação de telhados para captação de água de chuva e a construção de cisternas de placas para armazenamento. Além disso, as famílias participam de cursos de capacitação em temáticas como Gestão de Recursos Hídricos, educação financeira e Gênero, Direitos Humanos e Políticas Públicas. Até o momento, cerca de 430 famílias já foram atendidas pelo projeto.

“Nós priorizamos o atendimento a famílias lideradas por mulheres, e com crianças, idosos e/ou pessoas com problemas de saúde e deficiências morando na casa. Mas o principal critério é que sejam famílias em área rural, sem acesso a água, que recebam até 2 salários mínimos de renda familiar mensal”, explica Mohema Rolim, Gerente de Programas da Habitat para a Humanidade Brasil e responsável técnica pelo projeto. “A mudança na qualidade de vida para as famílias é imediata. Não podemos conceber que milhares de famílias ainda carecem de acesso a este direito humano mais básico”.

 

Para mais informações sobre como contribuir com a campanha de doações, clique abaixo:

DOE AGORA MESMO

A campanha está no ar até o dia 28 de março, e a brigada construtiva acontece de 09 a 15 de abril, no município de Riacho das Almas – Pernambuco.
Você também pode gostar
habitatbrasil-seminario
Habitat participa de seminário sobre gênero e cidade
Chamada para famílias do residencial Nossa Prata de Paulista-PE
Vaga para Voluntário – Comunicação (audiovisual)
Materiais do Seminário direito à cidade: fortalecendo alianças por cidades mais justas

Deixe uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.