A esperança de Dona Estelita nunca secou

A vida colocou muitas dificuldades no caminho da Dona Estelita. A grande maioria foi superada com muita luta. Mas existe uma que ela não conseguiu vencer sozinha: a falta de água.

Viúva há mais de 25 anos, ela mora em Santa Maria do Cambucá, Pernambuco, uma região castigada pela seca. Atualmente, com problema na coluna, nos ossos e, principalmente, na visão, Dona Estelita teve que parar de trabalhar e, se dependesse somente de si própria, não teria mais condições de pegar a água distante.

Dona Estelita precisava de uma cisterna para sobreviver. E, com a ajuda da Habitat para Humanidade Brasil, ela conseguiu.

“Ele chegou aqui e disse: Quer uma cisterna? Aí­ eu questionei: meu filho, essa terrinha aqui será que dá? Aí­ ele foi, olhou e disse que sim! Foi uma alegria muito grande.”

Com a ajuda de voluntários e amigos, a cisterna que capta e armazena a água das chuvas ficou pronta. E mais do que servir à Dona Estelita, ela serve também à comunidade de mais de 70 pessoas. Mas, para que a cisterna aproveite ao máximo as águas das poucas chuvas, é preciso que o telhado da casa esteja em boas condições.

Por isso, além de instalar a cisterna, Habitat reformou e adaptou o telhado da Dona Estelita, possibilitando que cada valiosa gota de água garanta o suprimento de muitas famílias durante os meses mais duros do ano.

Antes, os moradores da comunidade tinham que retirar água do barreiro. Uma água suja. E nem isso conseguiriam mais, pois, agora, os barreiros estão secos. Não tem água lá. Mas, graças ao importante trabalho da Habitat, a água está onde Dona Estelita mais precisa: na casa dela.

Você também pode gostar
Ciclo de Diálogos: 25 anos Habitat Brasil
Habitat para a Humanidade e Bloomberg apoiarão 30 reformas no Brasil
Oficina de conflitos fundiários urbanos acontece em Recife
Clipping – Folha de PE: “Financiamento coletivo custeia instalação de cisternas no Agreste”